quarta-feira, 27 de abril de 2016

Quem é o bom aluno?

Meus queridos,

duas das frases mais ouvidas pelos professores de cursinho é: "poxa, eu entendi, mas eu nunca iria pensar em fazer isso" (quando o professor acaba de fazer um exercício difícil) e "eu acho que não vou passar, pq conheço o fulaninho e a fulaninha que são muito melhores do que eu, eles já tentaram ano passado e não passaram". Vamos bater um papo sobre essas frases e o sentimento que cerca os alunos ao dizê-las.
Para começar o papo, vou listar duas opções de bons alunos:
- aluno que tem dúvidas 'geniais': é aquele aluno que pensa muito acima da média;
- aluno trabalhador: aquele aluno que faz todas as listas de exercícios, muitas delas com centenas de exercícios braçais.

Obviamente, estou sendo extremista em criar dois grupos de bons alunos, forçando que um não tenha interseção com o outro. Porém, é apenas para simplificar a análise. Se o aluno é muito trabalhador e consegue pensar 'fora da caixinha', ele certamente vai ter muito sucesso.
Na maioria dos casos, o aluno muito inteligente não gosta, ou não se sente interessado, de fazer listas intermináveis de exercícios simples e médios. Os exercícios não o desafiam, ele não sente tesão em dedicar horas do seu dia a fazer exercícios repetitivos. Prefere pensar sobre conceitos mais avançados, pesquisar novos tópicos na internet, tem um papo sempre muito 'cabeça'. Nos colégios convencionais, ele é o melhor aluno da turma sem muito esforço.
Ainda falando na maioria dos casos, o aluno trabalhador não era o primeiro aluno da classe no seu colégio. Ao começar o cursinho, ele sofre para acompanhar a matéria. Acha tudo muito novo, sente dificuldades na Matemática básica. Diferentemente do aluno inteligente, ele se apega às listas com unhas e dentes, tentando matá-las a todo custo.
O aluno trabalhador começa encarando o cursinho se sentindo inferior, pq existem vários alunos muito inteligentes na turma. No início do ano, com pouca matéria, o aluno inteligente ainda se destaca. Porém, como a quantidade de informação dada no cursinho é muito grande, com o passar do tempo o aluno inteligente que não trabalha tanto começa a se perder e não repete o desempenho que tinha no colégio. Esta situação é nova pra ele, ele vê alunos que considera mais limitados que ele tendo resultados melhores nos simulados.
Aí neste momento, voltamos às frases do início do post. O aluno trabalhador se sente incapaz pq existem alunos mais inteligentes que ele na mesma sala. Ele vê exercícios difíceis, que muitas vezes o aluno inteligente consegue resolver, e ele não consegue. Porém, na hora da prova, as questões muito difíceis são poucas. O aluno trabalhador tem condições de ter um resultado melhor que o do aluno inteligente, já que a prova é composta em sua maioria de questões médias e fáceis. Isto vale para qualquer prova. Não estou dizendo que o aluno inteligente não vai ser aprovado. Estou dizendo é que não basta a inteligência. Ele precisa ser trabalhador como o aluno que sempre foi mediano. Em caso contrário, se não trabalhar, o aluno inteligente tem menos chances de ser aprovado que o aluno mediano trabalhador. O aluno trabalhador pode nunca ter uma sacada genial, mas ele é capaz de reproduzi-la, depois de ver o professor resolvendo uma questão. E vai trabalhar pra fazer isso. O aluno inteligente que não trabalha tanto provavelmente vai fazer estas questões difíceis. Mas vai perder muitos pontos em questões fáceis e médias, na maioria das vezes por falta de atenção. Por ter perdido velocidade ao não realizar o treinamento com o máximo de dedicação.

Para dar um exemplo mais palpável, vou citar dois casos recentes do esporte: Atlético de Madrid x Barcelona (Champions League) e Audax x São Paulo (Campeonato Paulista). Nos dois casos, temos times poderosos (Barcelona e São Paulo) contra times menos técnicos (Atlético de Madrid e Audax). O Barcelona multicampeão, de Messi, Neymar, Suarez e Iniesta. São Paulo que disputa a Libertadores, com N títulos paulistas. Os dois confrontos, em certo aspecto, foram muito parecidos: os times limitados extremamente aplicados na defesa, marcando muito bem, lutando por cada bola como se fosse um prato de comida. E os times mais técnicos tentando furar o bloqueio. Não por terem menosprezado os oponentes. A causa, a meu ver, é a dificuldade de jogar contra um adversário que marcava duro o tempo todo.

Nos dois confrontos, o time mais técnico acabou ficando nervoso por não conseguir entrar na defesa dos times mais esforçados. Os resultados foram os mesmos: o time esforçado passou de fase. No caso da Europa, Atlético de Madrid bateu o Barcelona e chegou às semifinais. No caso paulista, o Audax deu uma pancada no São Paulo e chegou às semifinais, quando passou pelo Corinthians e faz agora a final contra o Santos.
No nosso mundo da preparação pra concursos, é mais indicado ser o Atlético ou o Audax. E não o Barcelona ou o São Paulo. Se você é um aluno esforçado, está no caminho certo. Se você é um aluno inteligente, trate de trabalhar. É mais importante você ser eficiente e fazer todos os pontos fáceis e médios do que ser o aluno que vai fazer as questões mais difíceis da prova, e poucas. Na hora da pontuação, o que vale é a quantidade de pontos. Não a dificuldade.
A aprovação é logo ali.
Beijomeliga.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Sonhos e conquistas

Meus queridos,

todos nós temos sonhos. Alguns mais difíceis, ou quase impossíveis, outros mais próximos, alcançáveis. O fato é: todos temos sonhos.

Os sonhos são fundamentais para impulsionar nosso trabalho, para nos dar mais disposição, pra nos fazer acordar cedo naquele sábado chuvoso... Provavelmente, se eu perguntasse qual é o seu sonho, vc responderia: passar nos concursos no fim do ano. Mas o seu sonho está aumentando sua disposição? Está fazendo vc trabalhar?

Tão importante quanto os sonhos é a disciplina. Quando era muleque, dizia q meu sonho era ser jogador de futebol. Aí vem a pergunta: alguma vez eu direcionei minha vida pra isso? Deixei de fazer alguma coisa pra atingir este sonho? Não! Logo, este é um sonho inalcançável. Além de ser difícil naturalmente, eu nunca me esforcei realmente pra realizá-lo. Pois bem. Muitas vezes vc pode estar caindo neste ponto. Vc diz q quer passar, mas não trabalha pra isso. Meus queridos, sonho sem trabalho não deixa de ser sonho. Nunca.

Pouco tempo atrás, num texto do Nizan Guanaes, estava escrito aqui: "Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu ofício com todo coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. (...) Geralmente, os que só pensam nele não o ganham. Porque são incapazes de sonhar. E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma."
Sonhe! Mas trabalhe pra realizar seus sonhos.

O Bernardinho tem uma frase foda: "Disciplina é a ponte que liga os sonhos às realizações." Muitas vezes vemos um cara bem sucedido, seja na Tv ou perto de nós mesmo, e pensamos: queria ser q nem esse cara. Mas a gente só está vendo a parte boa. A ponta final. A gente não está vendo o início. Aquela parte onde ele roeu o osso. Costumo dizer q todo mundo quer passar e se formar no IME. Mas ralar, acordar 5:00 todo dia, pegar ônibus, virar noite estudando, e tal, isso ninguém quer. Ainda tem mais: fazer tudo isso correndo o risco de ser reprovado e mandado embora. Mas é assim. Digo pra vcs: vale a pena. Cada noite mal (ou nem) dormida vale a pena. Cada manhã sacolejando no Caxias-Central, depois no 107, vale a pena. Pq havia um sonho. E este sonho foi realizado. Graças a Deus.



Os sonhos mudam ao longo da vida. Quando realizamos alguns, outros surgem. O que não pode faltar é a disciplina. Particularmente, não tenho nenhum sonho comprável. Logo, não penso no dinheiro como objetivo principal. Acho que vc pode pensar assim tb, na hr de escolher oq quer fazer da sua vida. Mas independentemente do tipo de sonho, se é comprável ou não, trabalhe para realizá-lo. A sensação é indescritível.

Continuemos sonhando! Quem não tem sonhos está começando a morrer. Além de sonhar, vamos trabalhar.

A aprovação é logo ali.

Beijomeliga.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Primeiros passos

Lembro bem de quando comecei a fazer o cursinho... isso já faz tempo, foi em 98. Mas as sensações, emoções, empolgações e medos são os mesmos que os alunos sentem, até hoje. É engraçado perceber que, em linhas gerais, as turmas se parecem. Os alunos que entram nesse jogo se parecem. Talvez pelo perfil, pelos interesses em comum, sei lá... sei é que já vi muita gente passar por esse mesmo caldeirão. Alguns com sucesso, outros sem ele. 

Permitam-me começar este ano, 2016, lembrando de como me sentia no início de 98. 

Era um aluno, 16 anos, saindo todos os dias de Duque de Caxias e enfrentando uma hora de ônibus para ir e mais outra hora de ônibus para voltar da Tijuca, onde funcionava a turma IME/ITA do curso em que estudava. Acredito que alguns de vcs se encaixem neste tempo de deslocamento. Pois é... só pra começar o curso já tem q ter coragem. Coragem pra fazer o mais difícil. Coragem pra não se acomodar e seguir o caminho mais tortuoso, mais cheio de espinhos, mais longo, mais difícil. 

Digo a vcs uma coisa: todos vcs que tentam (ou tentaram) passar para concursos de competição nacional (EFOMM, Escola Naval, AFA, IME, ITA, Unicamp, ENEM...) já são dignos de elogios. Não é demagogia! Quem me conhece sabe q não sou muito 'político'. Mas é verdade. Só de vcs se colocarem dispostos a começar, colocarem a 'cara a tapa', só isso já faz de vcs especiais. 

Lembro que no início do ano todos os meus colegas de turma sentiam a mesma coisa q eu. Um misto de empolgação, pelo desafio, e dúvida, por não conhecer o buraco em que estávamos nos metendo. Acredito q muitos de vcs, talvez com exceção dos repetentes (aqueles q já tentaram ano passado ou antes), estejam sentindo a mesma coisa: empolgação e dúvida. 

Por hoje, para não ficar com um post muito grande, vou falar só da empolgação. Outro dia falaremos da dúvida. 


A empolgação, a animação, o entusiasmo são peças essenciais na construção de um aprovado. É fundamental que todos, mesmo os repetentes, estejam empolgados. Esta empolgação fará vc estudar, estar atento a tudo que os professores disserem e tudo isso será importante para sua evolução. 

Estejam empolgados, permaneçam empolgados. Façam força para continuarem empolgados. A fase agora é de estar com muita vontade. Estar com a faca nos dentes. Vcs vão tentar os concursos mais difíceis do Brasil. Querem mais motivo para se sentirem especiais? Vcs são especiais e vão provar isso ao longo do ano. 

Prestem bastante atenção: mantenham-se empolgados. Quando estiverem em um dia ruim, cabisbaixos, cansados ou tristes, lembrem que todos nós somos humanos. Aqueles que passam também tiveram dias ruins, mas não foram derrotados por eles. Para ser aprovado não é necessário ser anormal. É necessário ser persistente, disciplinado. Esta persistência e esta disciplina são mais fáceis de serem atingidas se vcs mantiverem a empolgação. Lembrem de uma coisa: cada um de vcs só precisa de uma vaga. Ou seja, tem vaga de sobra pra vc. 

Grande abraço e até a próxima.

domingo, 19 de julho de 2015

E o momento da conquista se aproxima

Meus queridos,

para a galera que quer ser cadete da Academia da Força Aérea (AFA) ou aluno da Escola de Formação de Oficiais de Marinha Mercante (EFOMM), faltam poucos dias para o momento da conquista. Não! Não estou maluco, nem sendo hipócrita! É o momento da conquista sim. Vc não quer ser aprovado? Sua conquista é essa. Sem dúvida. Mas pode também ser outra.

Daqui a 15 dias, já terão sido realizados os concursos que citei (AFA e EFOMM). Quem quer a aprovação nestes concursos deve estar agora com aquele sentimento de dúvida, sem saber se está pronto. Sem saber se vai rolar ou não, sem saber se vai "dar branco", sem saber se todo o esforço do ano valeu a pena. Pois bem, vamos bater um papo sobre isso agora.

Em primeiro lugar: essas dúvidas e angústias são comuns a todos os aprovados. E aos reprovados também. Todos os candidatos sentem, em algum momento, em maior ou menor intensidade, essa dúvida se vai rolar ou não. A grande diferença entre os aprovados e os reprovados não está aí, no "sentir essa angústia". A diferença está em "o que fazer com isso". Vc pode se abater, tremer e ficar se borrando de medo ou pode encarar. Falta menos de uma semana pra AFA? Então, tenho tempo de ainda me preparar um pouco mais, ver mais soluções de provas, tirar mais dúvidas. E vou ficar com medo? Vai! E pode ser aprovado assim mesmo. Mas encare de frente. Vá atrás dos seus objetivos, não se acovarde. Aproveite esses últimos dias para o ajuste fino, tirar as últimas dúvidas. Não desperdice seu tempo com lamentações e choros que não ajudam em nada.



Uma coisa que quero deixar clara é: todos sentem medo e todos têm desculpas para usar. TODOS! Todos têm problemas, e podem usar isso como desculpa. Vc quer usar a desculpa ou quer dizer "Passei, apesar dos problemas"? Olhe pra frente e com foco no seu objetivo. As desculpas tornam-se desnecessárias. Dê o seu máximo, aproveite cada momento e converta toda sua energia em produção.

"Mas eu posso ser reprovado!"
Pode, claro que pode. Mas só vai saber depois de tentar. E até lá, tente direito! Dê o seu máximo e deixe pra pensar no pior depois que sair o resultado. Aí sim é hora de pensar em fazer alguma coisa com a reprovação.
E digo mais: só de vc ter chegado até aqui, na hora da decisão, já pode ser considerado um vencedor. A sua conquista pode ser a evolução, a confiança, a sensação de ter lutado e, mesmo que não tenha conseguido agora, está mais perto de alcançar seu objetivo. Então, trabalhe! Isso vai te aproximar do seu sonho.

Para finalizar, deixo uma passagem do Bernardinho. Está no livro dele "Transformando suor em ouro". Este trecho fala do dia da final olímpica de 2004.

“Não consegui pregar o olho na madrugada de sábado para domingo. Já de manhã, depois de passear na Vila e refletir sobre os três anos e meio que nos levaram até ali, voltava a pensar na final e nos italianos. (...) No vestiário, algumas palavras. Só para falar a eles de meu orgulho e de minha confiança. Exigência, apenas uma: que saíssem daquela final tendo deixado na quadra todo o seu esforço, toda a sua paixão, todo o seu suor. O que o placar ia dizer dependia também do adversário, mas dar tudo pela vitória só dependia de nós.”

O resultado do concurso depende também dos outros. O seu esforço só depende de você.
Em tempo: a seleção brasileira ficou com o ouro olímpico em 2004 :)



A aprovação é logo ali.
Beijomeliga.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Liderança

Meus queridos,

estou escrevendo esta postagem baseado num pedido de uma turma muito especial, com quem trabalho neste ano 2015. É a turma EN/EFOMM do SEI.

Faz mais ou menos 5 dias que eles me pediram para abordar o conceito de liderança. Recebi até pedido via whatsapp às 6h da manhã!!! Enfim, vamos falar um pouco sobre o assunto.

Quando fui perguntado sobre oq achava da palavra liderança, confesso que fiquei um pouco confuso sobre como definir isso. É aquela parada de: "eu sei oq é, mas definir é difícil". Falei que, pra mim, líder é aquele cara que motiva outras pessoas a fazerem alguma coisa. Existe uma sutileza aí. Líder é diferente de chefe. Chefe é o cara que manda outras pessoas fazerem algo. O líder motiva.

No dicionário, líder pode ser:

  1. indivíduo que tem autoridade para comandar ou coordenar outros
  2. pessoa cujas ações e palavras exercem influência sobre o pensamento e comportamento de outras
E acredito ser bem por aí mesmo. O líder é aquele que tem palavras e, principalmente, ações que influenciam outras pessoas. Temos diversos exemplos de líderes na história, tanto militar quanto esportiva. Pessoas que influenciaram outras pessoas a fazerem algo que nem mesmo queriam fazer, ou nem mesmo acreditavam que daria certo. E muitas vezes o líder motiva tanto uma equipe em busca de um objetivo que está distante, que mesmo com todas as adversidades aquela equipe consegue atingir o objetivo. O líder precisa manter sua equipe acreditando que é possível vencer. 

Só pra citar um exemplo do esporte, tive o prazer de acompanhar um bom tempo da melhor seleção de vôlei que já passou por este planeta: o Brasil do Bernardinho. Esta seleção ganhou tudo oq podia e oq não podia. Neste time, houve alguns líderes... lembro especialmente de 2 casos: Nalbert e Giba.

  • O Nalbert era o capitão do time, mas operou o ombro faltando 8 meses para a Olimpíada de 2004. Uma cirurgia delicada, com tempo de recuperação longo. Muita gente duvidou da participação dele nos Jogos Olímpicos. Pois bem... ele fez fisioterapia em 3 turnos, ralou muito e conseguiu ir aos Jogos. Na época, alguns jogadores citaram que ver o capitão do time ralando tanto, sofrendo tanto pra participar de uma competição importante, isso fez com que eles se empenhassem mais nos treinos e jogos, para "compensar" aquele esforço do cara que era uma liderança na equipe. O exemplo de uma pessoa influenciando o pensamento de outras pessoas. 
  • O Giba era o melhor atacante do mundo, foi eleito o melhor jogador do mundo algumas vezes. Lembro de uma partida em que ele pulou pra recuperar uma bola "perdida", saltou o banco de reservas, quase se jogou na arquibancada. Aquela bola realmente não tinha volta. Mas o Brasil estava perdendo aquele jogo e virou. Na época, lembro de uma entrevista do Serginho, falando: "Po, se o cara que é o melhor do mundo vai atrás de todas as bolas, quem sou eu pra não me matar em quadra?!" Mais uma vez, o exemplo mudando o comportamento de outros...

No Exército, existe uma máxima: "As palavras convencem. O exemplo arrasta." É bem por aí... Mas não existem líderes só longe de nós, lá no mundo esportivo ou militar. Temos líderes do nosso lado... que filho não se motiva a melhorar de vida quando vê o seu pai ralando muito pra dar condições aos filhos de estudar? Aquele amigo seu que não para de estudar, que mesmo cansado continua ralando... eles não são líderes? Claro que são! Exemplos influenciando o seu comportamento. E esses líderes que estão mais perto de nós são muito mais importantes para nós do que um jogador ou um general. 

Existem técnicas de liderança que são aprendidas, estudadas, podem ser treinadas. Mas tudo começa com uma atitude positiva. Tudo começa em vc entender que oq vc faz tem consequências, sejam elas positivas ou negativas. Pense positivo. Aja positivamente. Não se esconda. Corra atrás. Você mesmo não pode ser um líder? Lógico que pode! Acredite em vc, po! Um passinho de cada vez. Um tijolinho a cada dia. Daqui a pouco, sua casa estará construída. 

Citei lá no início do post a galera da turma EN/EFOMM do SEI. Este recado agora vai pra eles. 

A manifestação de vcs no domingo passado foi emocionante. Ver a galera sem vergonha de se entregar e perceber que realmente temos o sentimento de turma, de grupo. Po, mas líder não é aquele que influencia os outros pelo seu exemplo? Vcs me influenciaram a voltar a escrever. Não são vcs os líderes? Claro que são!

Seja lá o concurso que vc quer, ele está chegando perto. Quem quer AFA ou EFOMM, menos de 1 mês. Hora de dar o gás final. Acreditar que dá pra ser vencedor e seguir em frente. Aja como líder. Pense como líder. Não é hora de fraquejar. Se estiver desanimado, pense em quanto vc sonhou. Quando vc já se dedicou. Peça a Deus que te dê forças. E aí continue andando. Um passo de cada vez. 

A aprovação é logo ali. 
Beijomeliga!

Boas vindas

Amigos, alunos, candidatos conhecidos e desconhecidos,

este blog foi migrado do Sonho IME/ITA. Aqui, vamos continuar nossos papos. 

Criar o blog foi uma tentativa de estar em contato e buscar ajudar todos aqueles que sonham com a aprovação nos principais concursos do país. Estes concursos que povoam os desejos de muitos jovens por todo o país e que exigem disciplina, dedicação, vontade e perseverança ao longo do ano todo. Muitos candidatos perseguem este objetivo por mais de um ano, e, ainda assim, ficam pelo caminho. 

Quero criar este canal de comunicação para estar ao lado de vcs, passando um pouco da minha experiência, falando um pouco de coisas engraçadas para darmos risadas juntos e, principalmente, servindo de suporte a todos que querem sentir o gostinho de dizer: PASSEI!